Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Barack Obama em 17 de janeiro de 2017 na Casa Branca

(afp_tickers)

O presidente americano, Barack Obama, comutou nesta terça-feira a pena de 55 anos que era cumprida pelo separatista porto-riquenho Óscar López Rivera, preso há mais de três décadas por acusações relacionadas a terrorismo.

López Rivera cumpria uma pena de 55 anos de prisão desde 1981, as quais se somaram outros 15 anos em 1988, por conspiração, transporte de armas e munições, ligados a seu envolvimento com o grupo nacionalista Forças Armadas de Libertação Nacional (FALN).

Agora López Rivera será libertado em 17 de maio deste ano, segundo o texto dos indultos anunciados por Obama, nos quais o presidente comuta as sentenças de 209 pessoas e perdoa 64.

Porto Rico é um estado livre associado aos Estados Unidos, um status que dá a seus habitantes a cidadania norte-americana, mas os impede de votar nas eleições nacionais e ter cadeiras no Congresso de Washington.

A liberdade de López Rivera era uma petição constante por parte dos separatistas porto-riquenhos. Há pouco mais de um ano, o cantor René Pérez, conhecido como "Residente", pediu sua libertação em um vídeo no Facebook.

Em março do ano passado, o discurso em San Juan feito pelo rei da Espanha, Felipe VI, foi interrompido porque o cineasta porto-riquenho Pedro Muñiz começou a falar em favor do separatista de 74 anos.

Uma visita de Obama à ilha em 2011 também esteve abafada por protestos de separatistas que pediam a libertação dos políticos presos, entre eles Óscar López Rivera.

López Rivera está preso em Chicago, no estado de Illinois.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP