Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Vista de Moscou

(afp_tickers)

A câmara alta do Parlamento russo acusou o Ocidente de financiar ONGs russas e "incitar" jovens a protestar e desacreditar a Rússia, em um relatório publicado nesta quarta-feira (11).

"A criação e apoio de ONGs que (...) defendem os interesses de Estados estrangeiros", bem como "a implantação de professores ocidentais no sistema educacional (...) ameaçam seriamente a soberania" da Rússia, diz o relatório da Comissão para a Proteção da Independência Nacional do Conselho da Federação.

Esta comissão, criada em junho, afirma ainda que "o envolvimento de jovens em ações de protesto" incitadas pelo Ocidente também é uma ameaça, assim como "a imprensa e as redes sociais que desacreditam" a Rússia e a Igreja Ortodoxa russa.

"A interferência nos assuntos internos da Rússia não é feita apenas através da propaganda direta, como a Radio Svoboda (financiada por Washington), mas também através de programas educacionais envolvendo jornalistas russos", continua o relatório.

Em 2016, a filial russa do movimento político Open Russia (Rússia Aberta), financiado pelo opositor e ex-oligarca Mikhail Khodorkovski, "investiu mais de um milhão de dólares (...) na campanha eleitoral e nas manifestações da oposição", diz a Comissão.

O relatório recomenda a proibição das atividades de ONGs financiados pelo exterior, exceto aquelas coordenadas com o Estado russo.

Na segunda-feira, a Rússia ameaçou os meios de comunicação americanos que trabalham em seu território com novas restrições, em resposta às denúncias do canal de TV russo RT, que acredita que suas atividades são dificultadas pelos Estados Unidos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP