Navigation

Odebrecht: Justiça mantém prisão domiciliar de ex-presidente peruano

Ex-presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 23. agosto 2019 - 14:28
(AFP)

A Justiça peruana negou nesta sexta-feira (23) a revogação da prisão domiciliar do ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski, acusado de violar a proibição de receber políticos investigados no escândalo da Odebrecht.

Kuczynski, 80 anos, não aparece em público há quatro meses, desde que foi colocado em prisão domiciliar por 36 meses, enquanto estava sendo investigado pelo caso da construtora brasileira.

Segundo a Promotoria, Kuczynski não respeitou a proibição de se comunicar com testemunhas envolvidas em todas as investigações decorrentes do escândalo da Odebrecht, entre outras supostas violações.

A medida judicial também incluía "a proibição de realizar atividade política direta e indiretamente".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.