AFP

A fachada da Organização dos Estados Americanos em Washington, no dia 18 de março de 2015

(afp_tickers)

O Conselho Permanente da Organização de Estados Americanos (OEA) elegeu nesta quarta-feira o magistrado colombiano Luis Vargas Silva para ser o novo integrante da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Vargas Silva, ex-juiz da Corte Constitucional colombiana, era o único candidato para substituir o comissário Enrique Gil Botero, que renunciou em março deste ano para assumir o cargo de ministro da Justiça da Colômbia.

Na CIDH, Gil Botero tinha a responsabilidade de coordenar o mecanismo estabelecido pela CIDH e pelo governo do México para investigar o desaparecimento de 43 estudantes em Ayotzinapa.

Em 2014 foi estabelecido o Grupo Interdisciplinar de Especialistas Independentes (GIEI), através de um acordo entre a CIDH, familiares das vítimas de Ayotzinapa e o estado mexicano para tentar esclarecer o ocorrido no desaparecimento dos estudantes.

Nesta quarta-feira, Vargas Silva foi eleito por unanimidade para assumir como comissário da CIDH até 31 de dezembro de 2019.

A CIDH, que tem sua sede em Washington, é integrada por sete membros escolhidos pela OEA, embora não representem seus países de origem.

Durante a Assembleia Geral da OEA, que será realizada de 19 a 21 de junho no México, a entidade continental deverá escolher três novos comissários para substituir os que terminam seus mandatos, incluindo o ex-presidente da CIDH, o americano James Cavallaro.

AFP

 AFP