Navigation

OEA pode garantir eleições livres na Bolívia, diz Almagro

O secretário-geral da Organização de Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, em 19 de dezembro de 2019. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 19. dezembro 2019 - 22:21
(AFP)

A Organização dos Estados Americanos (OEA) tem capacidade para garantir a realização de eleições livres na Bolívia, afirmou nesta quinta-feira o secretário geral do bloco, Luis Almagro, observando, no entanto, que será um esforço de "meses".

"Nosso compromisso é que as próximas eleições na Bolívia tenham todas as garantias e que os cidadãos tenham certeza quanto ao seu voto", afirmou Almagro à imprensa em Washington.

O secretário contou que nas últimas horas recebeu uma nota da Bolívia solicitando o acompanhamento da OEA no novo processo eleitoral, convocado pelo governo interino do país andino após a crise política que levou à renúncia do presidente Evo Morales, em novembro.

"Este processo de participação da OEA tem a ver com condições pré-eleitorais, políticas, legais e técnicas. Em todas elas, a OEA possui capacidades que podem construir um mecanismo absolutamente garantido para o próximo processo eleitoral boliviano", afirmou Almagro.

"Será um trabalho de um mês e terá que desenvolver as capacidades técnicas da Bolívia. Esperamos que funcione da melhor maneira", acrescentou.

Um relatório de auditoria da OEA sobre as eleições de 20 de outubro na Bolívia concluiu que havia "manipulação maliciosa" e indicou a impossibilidade de validar os resultados. O documento também denunciou o "parcialidade da autoridade eleitoral".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.