Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Muçulmano rohingya se desespera depois de reconhecer o corpo de sua esposa, em Cox's Bazar, em 29 de setembro de 2017

(afp_tickers)

O balanço de mortos do naufrágio de uma embarcação de refugiados rohingyas na quinta-feira perto de Bangladesh provavelmente supera 60, anunciou nesta sexta-feira a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

"Há 23 mortes confirmadas [...] Quarenta pessoas estão desaparecidas e supostamente afogadas", declarou o porta-voz da OIM, Joel Millman, à imprensa Genebra.

"O balanço final ficará por volta dos 60 mortos", completou.

O último balanço divulgado citava 19 mortos.

Sobreviventes do naufrágio afirmaram à OIM que quase 80 pessoas estavam na embarcação, a maioria crianças, rohingyas que fugiam das perseguições sofridas por esta minoria muçulmana no estado de Rakhine, em Mianmar.

"Os sobreviventes contaram que passaram toda a noite no mar, sem alimentos", disse Millman.

A embarcação naufragou perto da terra firme em consequência das chuvas torrenciais e dos ventos no golfo de Bengala.

O "capitão" do barco, suspeito de atuar como traficante de seres humanos, também está desaparecidos e é considerado morto, completou Millman, mas não aparece no balanço da OIM porque a organização contabiliza apenas os refugiados.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP