Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Criança afegã toma vacina contra a poliomelite em Jalalabad, no da 17 de agosto de 2015

(afp_tickers)

Dois casos de poliomelite em crianças foram confirmados na Ucrânia, os primeiros desde 2010 no continente europeu, informou à AFP nesta quarta-feira a Organização Mundial da Saúde.

A doença foi detectada em um menino de quatro anos e em outro de dez meses na região Transcarpátia, de acordo com o comunicado da OMS, segundo o qual a paralisia que caracteriza a poliomelite se manifestou nestas crianças em 30 de junho e 7 de julho.

A região de Transcarpátia, no sudoesta da Ucrânia, faz fronteira com Romênia, Hungria, Eslováquia e Polônia.

"Trata-se do primeiro caso de poliomelite na Europa desde 2010", disse à AFP Oliver Rosenbauer, um porta-voz da organização em Genebra.

Contudo, a OMS declarou que o risco de contaminação internacional é baixo, apesar da proximidade destes casos com as fronteiras de outros países europeus.

Em 2010, foram registrados 14 casos de pólio na Rússia. Estavam relacionados com um surgimento no Tajiquistão, ex-república soviética da Ásia Central, mas também no Afeganistão, onde a poliomelite segue sendo endêmica.

O último caso registrado na Ucrânia era de 1996, segundo a mesma fonte.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considerava esta doença erradicada em 99% até que o vírus reapareceu na Somália em 2013. Apenas 223 casos foram contabilizados em 2012 contra 350.000 em 1988.

Em 2013, só restavam três países nos quais a doença era endêmica - Afeganistão, Nigéria e Paquistão - contra mais de 125 em 1988, segundo a OMS.

AFP