Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Guiné é um dos três países mais afetados pelo Ebola na África Ocidental entre 2013 e 2016, ao lado da Libéria e de Serra Leoa

(afp_tickers)

A epidemia de ebola anunciada nessa sexta-feira pelas autoridades de Kinshasa no nordeste da República Democrática do Congo (RDC) deve ser controlada "rapidamente", declarou neste sábado uma alta funcionária da Organização Mundial de Saúde (OMS).

"Espero que possamos controlar muito rapidamente essa epidemia", declarou Matshidiso Moeti, diretora da OMS para África, a jornalistas ao fim de uma reunião com o ministro da Saúde do Congo, Oly Ilunga, na capital Kinshasa.

Essa é a oitava epidemia de ebola enfrentada pelo país desde a descoberta do vírus em seu território, em 1976.

"Foram tomadas medidas com o governador (da província de Baixo Uelé) para mobilizar o sistema de saúde, mobilizar as equipes" e lutar contra a enfermidade no local, acrescentou. "Estamos dispostos a mobilizar nossos especialistas para a atendam a RDC".

A epidemia foi declarada em um área da província de Baixo Uelé. Segundo fontes humanitárias, trata-se de uma área de difícil acesso, o que complicaria a propagação dessa febre hemorrágica altamente contagiosa, embora o fornecimento de materiais, medicamentos e equipes também não pareça fácil.

Na sexta-feira, foram detectados nove casos suspeitos e três das pessoas afetadas morreram, segundo a OMS.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP