Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

As pessoas que voltarem das regiões afetadas pelo vírus do zika sem apresentar sintomas devem, agora, proteger-se sexualmente durante seis meses e não apenas por oito semanas, recomenda a OMS

(afp_tickers)

A Organização Mundial de Saúde (OMS) reforçou as recomendações de proteção sexual, no âmbito de seu plano de ação contra o vírus zika - de acordo com um comunicado publicado nesta terça-feira (6).

As pessoas que voltarem das regiões afetadas pelo vírus zika sem apresentar sintomas devem, agora, proteger-se sexualmente durante seis meses e não apenas por oito semanas, recomenda a OMS.

A organização internacional colocou essa recomendação no mesmo nível para as pessoas não contaminadas e para as infectadas pelo vírus.

Antes, a abstinência, ou a proteção, para aqueles que regressavam sem sintomas de países afetados estava limitada a apenas oito semanas.

A OMS também mudou as recomendações para os Estados, onde a transmissão do vírus foi constatada.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP