Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Grande parte da Europa sofria nesta quarta-feira as consequências de uma onda de calor, a mais forte desde 2005 na França

(afp_tickers)

Grande parte da Europa sofria nesta quarta-feira as consequências de uma onda de calor, a mais forte desde 2005 na França, enquanto Londres se preparava para enfrentar seu dia mais quente desde 1976 e Portugal continuava lutando contra um incêndio devastador.

- Na França, o calor extremo inédito em 12 anos, que começou no domingo, durará até quinta-feira, segundo as previsões, com até 37°C nesta quarta-feira, dia da tradicional Festa da Música. As autoridades ativaram um número especial gratuito para ligações e tomaram medidas para as pessoas mais vulneráveis, como os idosos. Um homem foi encontrado morto no rio Loira (oeste), onde se afogou quando tentava se refrescar.

- Em Portugal, mais de mil bombeiros continuavam lutando contra um incêndio que começou no sábado em Pedrógão Grande, em plena onda de calor e com ventos fortes, que deixou 64 mortos e 157 feridos.

- Na Espanha, uma onda de calor que começou na quinta-feira e deve durar até domingo provocou temperaturas máximas de 40°C.

- No Reino Unido, os termômetros atingiram 33,9ºC no oeste de Londres, fazendo desta quarta-feira o dia de junho mais quente desde 1976. Os serviços meteorológicos tinham previsto temperaturas superiores a 30°C de sábado a quinta-feira, algo sem precedentes desde 1995.

- Na Holanda, onde se prevê que a temperatura ultrapasse os 35 graus na quinta-feira, se aplica desde segunda-feira um plano nacional para combater os efeitos do calor, especialmente nos idosos. Os níveis de alerta de incêndio foram aumentados nas sete províncias fronteiriças com a Bélgica.

- Na Bélgica, o "plano verão" foi ativado na rede ferroviária. Os agricultores se preocupam com a seca que afeta o país há vários meses, o que lembra o mesmo fenômeno de 1976.

- Na Itália, os serviços meteorológicos esperam nos próximos dias uma onda de calor que poderia ser a mais intensa dos últimos 15 anos, com temperaturas que ultrapassam em oito graus as normais para a temporada (até 39° em Milão).

- Na Áustria, a previsão é de temperaturas de cerca de 35° até a próxima quarta-feira. Os agricultores e os bombeiros estão em alerta pelos tradicionais fogos de artifício de São João, que poderiam causar incêndios, e os churrascos foram proibidos temporariamente nos parques de Viena.

- Na Croácia, foram declarados dois incêndios florestais na costa sul, à beira do mar Adriático, o que levou à evacuação de 800 turistas, embora na tarde de quarta-feira as chamas estivessem controladas.

- Na Rússia, uma onda de calor afetou a Sibéria com temperaturas de até 37 graus na quarta-feira em Krasnoyarsk, segundo a emissora Pervy Kanal, enquanto em Murmansk (à beira do oceano Ártico) estava nevando.

AFP