Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Grand Canyon é visto em 11 de maio de 2014

(afp_tickers)

O grupo de defesa dos animais PETA ofereceu uma recompensa de 15 mil dólares a quem der informações que levem à detenção de um homem que chutou um esquilo em um abismo do Grand Canyon, no Colorado, Estados Unidos.

O PETA anunciou a recompensa nesta quarta-feira depois que um vídeo se tornou viral no YouTube, onde se pode ver um adulto não identificado chutando o animal para o que aparentemente foi morte certa.

"É imperativo achar qualquer um que cometa atos violentos e sádicos contra um ser vulnerável", disse o diretor da PETA Martin Mersereau, ao anunciar a recompensa.

"Os abusadores de animais são matadores e covardes que tentam vitimizar os indivíduos mais vulneráveis e indefesos disponíveis, humanos ou não humanos, e este homem deve ser preso o quanto antes", acrescentou.

Desconhece-se quando o vídeo de baixa qualidade foi gravado, mas o porta-voz do Serviço de Parques Nacionais (NPS), Kirby-Lynn Shedlowski, informou que aparentemente foi feito em um trecho do limite sul do cânion, muito frequentada por turistas.

"Há uma investigação em andamento", disse à AFP em entrevista por telefônica, acrescentando que o homem e seu acompanhante, também sem camisa, "poderiam ter ido embora faz tempo".

O cânion do rio Colorado, no estado do Arizona (sudoeste), é uma das grandes maravilhas naturais do planeta e a cada ano, o Parque Nacional do Grand Canyon recebe cinco milhões de visitantes. As regras proíbem terminantemente alimentar os animais selvagens.

No vídeo suspeito, no entanto, o suspeito, descalço, com bermudão escuro e chapéu de palha, aparece oferecendo comida ao esquilo, enquanto um segundo homem, também de bermuda, aparece ao fundo com uma câmera na mão.

O homem atrai o incauto roedor para a beira do precipício, depois calça um sapato esportivo e, com um chute, manda o esquilo pelos ares na direção do cânion, com 1,6 km de profundidade.

Agredir a fauna silvestre é crime federal nos Estados Unidos e pode render penas de seis meses de prisão e multa de até 5.000 dólares.

O jornal britânico Daily Mail citou Jonathan Hildebrand, que supostamente gravou o vídeo, dizendo que participou do incidente e que não conhecia os dois indivíduos.

"Tudo o que sei é que são franceses", noticiou o jornal. Segundo a PETA, "há boatos de que o agressor seja francês ou franco-canadense".

AFP