AFP

Uma coalizão de associações defensoras dos direitos humanos quer expor a troca de informação entre espiões de diferentes países

(afp_tickers)

Uma coalizão de associações defensoras dos direitos humanos quer expor a troca de informação entre espiões de diferentes países, dos quais suspeitam tentar eludir as legislações nacionais.

Oito associações de diferentes países, entre elas a poderosa organização americana de defesa dos direitos civis ACLU, anunciaram nesta terça-feira que unirão esforços para conseguir que seus respectivos governos revelem os acordos de troca de informação realizados por suas agências de Inteligência.

"Os acordos de troca de informação permitem potencialmente às agências de Inteligência eludir as limitações jurídicas nacionais ao transmitir os dados por meio de uma rede transnacional de Inteligência", explicou a ACLU em um comunicado.

As outras sete organizações são a Liberty do Reino Unido, o Irish Council for Civil Liberties da Irlanda, Agora da Rússia, Hungarian Civil Liberties Union da Hungria, a Canadian Civil Liberties Association do Canadá, a Iniciativa Ciudadana para el Control del Sistema de Inteligencia da Argentina e o Legal Resources Centre da África do Sul.

Estas associações são membros da mesma rede internacional, a International Network of Civil Liberties Organizations.

AFP

 AFP