Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A crise alimentar no Sudão do Sul é agora a pior do mundo, afirmou nesta sexta-feira o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que pede um financiamento urgente para intensificar as entregas da ajuda necessária

(afp_tickers)

A crise alimentar no Sudão do Sul é agora a pior do mundo, afirmou nesta sexta-feira o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que pede um financiamento urgente para intensificar as entregas da ajuda necessária.

Ao menos 3,9 milhões de pessoas - assombrosamente um a cada três habitantes do país - passam fome enquanto prosseguem os combates no Sudão do Sul, de acordo com funcionários da ONU.

O Conselho de Segurança descreveu a situação "como catástrofe de insegurança alimentar no Sudão do Sul, atualmente a pior do mundo", e disse que o país está prestes a enfrentar uma fome generalizada se a luta continuar.

Diante da ameaça, o Conselho convocou os países a cumprir suas promessas de reunir 618 milhões de dólares para ajudar o Sudão do Sul, como ficou acertado em uma conferência em maio passado, e a ampliar seu compromisso.

Os combates no Sudão do Sul explodiram em dezembro passado, com uma disputa pelo poder entre o presidente Salva Kiir e seu vice Riek Machar.

AFP