Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A ONU advertiu neste sábado para o risco de um "massacre" na cidade de Amerli (160 km ao norte de Bagdá), cercada por jihadistas

(afp_tickers)

A ONU advertiu neste sábado para o risco de um "massacre" na cidade de Amerli (160 km ao norte de Bagdá), cercada por jihadistas.

"A situação dos habitantes de Amerli é desesperadora, e requer uma ação imediata para impedir um possível massacre", declarou em um comunicado o representante especial da ONU em Bagdá, Nickolay Mladenov.

Mladenov exortou o governo iraquiano a "fazer o máximo para romper o cerco e permitir que os moradores da região recebam ajuda humanitária".

Essa cidade de 20.000 habitantes é assediada por combatentes do Estado Islâmico (EI) desde o início de sua ofensiva em junho, que permitiu aos ultra-radicais se apoderar de várias regiões do país.

Na sexta-feira, o aiatolá Ali al-Sistani, maior autoridade religiosa xiita do Iraque, pediu pelos habitantes de Amerli, majoritariamente turcomanos xiitas.

O primeiro-ministro iraquiano designado, Haidar al-Abadi, também pediu ajuda, solicitando "apoio militar e logístico de todo tipo".

AFP