Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Segundo a Convenção de Genebra, bombardear casas constitui uma violação das leis humanitárias internacionais, exceto se estas casas são usadas com fins militares.

(afp_tickers)

Os bombardeios israelenses contra casas em Gaza podem violar as leis de guerra e a legislação internacional sobre direitos humanos, alertou nesta sexta-feira a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

"Recebemos relatórios preocupantes sobre vítimas civis, entre elas crianças, como consequência dos ataques aéreos contra casas", declarou à imprensa em Genebra Ravina Shamdasani, porta-voz da Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos.

"Estes relatórios semeiam dúvidas sobre se estes ataques se ajustam às leis humanitárias internacionais e à legislação internacional de direitos humanos", disse.

Segundo a Convenção de Genebra, bombardear casas constitui uma violação destas regras, exceto se estas casas são usadas com fins militares.

Shamdasani declarou que, mesmo neste último caso, "qualquer ataque deve ser proporcional, significar um claro avanço militar e estar acompanhado de precauções para proteger os civis".

A Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, lamentou em um comunicado que Israel e o movimento islamita palestino Hamas já tenham tomado o caminho do confronto no passado, que "apenas conduz a mortes, destruições, desconfianças e a uma prolongação dolorosa do conflito".

"Convoco todas as partes a respeitar firmemente suas obrigações em relação às leis internacionais sobre direitos humanos e leis humanitárias internacionais para proteger os civis", acrescentou Pillay.

AFP