Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Meninas iemenitas em Sanaa, em 15 de outobro de 2017

(afp_tickers)

Mais de 11 milhões de crianças iemenitas necessitam de assistência humanitária devido à guerra que assola o país desde março de 2015, afirmou nesta segunda-feira a Secretaria da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA).

Essas crianças são vítimas diretas da pior crise alimentar do mundo, uma epidemia de cólera sem precedentes e da falta de acesso a serviços médicos e nutricionais, acrescentou a OCHA em seu boletim informativo de outubro.

O sistema educacional também está à beira do colapso, com mais de cinco milhões de crianças em risco de terem negadas o direito à escola, disse o órgão da ONU.

A guerra no Iêmen é travada entre as forças do governo que foram expulsas da capital Sanaa e os rebeldes huthis, acusados ​​de serem apoiados pelo Irã e que recebem apoio de unidades militares leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh.

Em março de 2015, as forças governamentais passaram a receber o apoio de uma coalizão militar liderada pela Arábia Saudita e os ataques aéreos não pararam desde então.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o conflito já deixou mais de 8.650 mortos e cerca de 58.600 feridos, incluindo muitos civis.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP