Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Palestinos observam os destroços de casas no bairro de Shejaiyaa, na cidade de Gaza, em 17 de agosto de 2014

(afp_tickers)

A coordenadora das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Valerie Amos, avaliou neste domingo que levará "meses" até que a ONU consiga reparar suas infraestruturas danificadas e destruídas na Faixa de Gaza, desde o início da ofensiva israelense.

"O conserto dos estragos nos hospitais, escolas e postos da UNRWA (Agência da ONU para os Refugiados Palestinos), onde os deslocados encontraram abrigo, levará meses", declarou Valerie.

A representante da ONU está em uma visita de dois dias em Teerã, onde se reúne com as autoridades iranianas para tratar das crises humanitárias em Gaza, Síria e Iraque.

Ao todo, 97 instalações da UNRWA foram danificadas em Gaza, em especial, centros de saúde, de distribuição de alimentos e escolas. Muitos desses colégios serviam de abrigo para os 250 mil palestinos deslocados.

Amos lembrou das "firmes declarações" das Nações Unidas sobre "as violações das leis humanitárias internacionais e das leis sobre os direitos humanos por todas as partes" em Gaza. Ainda segundo ela, "todos os Estados-membros da ONU fracassaram em sua tentativa de encontrar" uma solução política para o conflito entre israelenses e palestinos.

A ofensiva lançada em 8 de julho por Israel contra o movimento islâmico palestino Hamas matou quase dois mil palestinos em Gaza - civis em sua maioria. Além disso, 64 soldados israelenses morreram, e os foguetes lançados de Gaza mataram três civis em Israel.

AFP