O secretário-geral da ONU, António Guterres, nomeou nesta terça-feira (16) um enviado para o Sudão que trabalhará com a União Africana (UA) para buscar uma solução para a crise desatada pela toma de poder dos militares.

Nicholas Haysom, um advogado sul-africano que foi enviado da ONU na Somália, Afeganistão, Sudão e Sudão do Sul, apoiará os esforços de mediação impulsionados pela UA entre os militares e a sociedade civil, disse o porta-voz das Nações Unidas, Stephane Dujarric.

A União Africana pediu aos militares sudaneses que cedam o poder a um governo civil em um prazo de 15 dias, após condenar duramente a derrubada de Omar al Bashir, que classificou de golpe de Estado.

A organização de 55 países africanos ameaçou suspender a presença do Sudão entre suas fileiras caso não avance para estabelecer um governo civil.

Guterres falou nesta segunda-feira por telefone com Moussa Faki, o presidente da Comissão da União Africana, sobre a nomeação de Haysom.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.