Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vista geral do lado catariano da fronteira de Abu Samrah, em 23 de junho de 2017

(afp_tickers)

A ONU ofereceu, nesta sexta-feira (23), sua ajuda para resolver a crescente crise no Golfo Pérsico, depois que o Catar recebeu uma lista de demandas dos países vizinhos, incluindo o pedido de fechamento de sua emissora de televisão Al-Jazeera.

No início da semana, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse que o Kuwait era o mais adequado para conduzir os esforços para amenizar a crise.

As tensões escalaram depois que Bahrein, Egito, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos apresentaram ao Catar uma lista de reivindicações.

Entre elas, além do fechamento da Al-Jazeera, está reduzir o nível de sua relação diplomática com o Irã e fechar uma base militar turca no emirado. A lista foi vazada para a imprensa, mas não confirmada oficialmente.

"Espero que os países envolvidos resolvam a situação pelo diálogo", disse a porta-voz da ONU Eri Kaneko.

"Estamos prontos para ajudar, se as partes pedirem", acrescentou.

"Continuamos acompanhando a situação com profunda preocupação. Estamos a par de listas de demandas em relação ao Catar. Não estamos em condições de comentar detalhes sobre isso, ou de confirmar tal lista", acrescentou Kaneko.

O ministro das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos, Anwar Gargash, advertiu que o Catar deveria levar a sério essas demandas, ou enfrentar o "divórcio" com seus vizinhos do Golfo.

O Catar é membro do Conselho de Cooperação do Golfo junto com Bahrein, Kuwait, Omã, Arábia Saudita e Emirados Árabes.

Em 5 de junho, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos lideraram uma ruptura de todos os seus vínculos com o Catar, alegando que apoia o grupo Estado Islâmico (EI) e sua proximidade com Teerã. Outros aliados, como Bahrein e Egito, acompanharam a decisão.

AFP