Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivos) O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), Filippo Grandi

(afp_tickers)

O Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur), Filippo Grandi, fez um apelo pela solidariedade internacional com a Itália, país que enfrenta uma grande afluência de refugiados e de migrantes - de acordo com um comunicado divulgado neste sábado (1º).

"O que está acontecendo diante dos nossos olhos na Itália é uma tragédia. Na semana passada, 12 mil migrantes e refugiados chegaram a sua costa, e calculamos que 2.300 pessoas tenham perdido a vida no Mediterrâneo desde o início do ano", declarou Grandi.

Segundo ele, o resgate e a acolhida desses migrantes "não podem ser um problema apenas italiano".

"Trata-se, sobretudo e antes de tudo, de um problema de importância internacional, que precisa de uma abordagem regional concertada e comum", completou.

No domingo à noite (2), os ministros do Interior de França, Itália e Alemanha se reúnem em Paris para estudar como ajudar Roma a lidar com a crise migratória, disse uma fonte francesa à AFP na sexta-feira (30).

O governo italiano reivindica uma maior ajuda de seus sócios europeus diante do fluxo de migrantes em seu território. Desde o início do ano, o país registrou mais de 73.300 chegadas de migrantes, um aumento de 14% em relação ao mesmo período de 2016. A maioria é procedente da Líbia.

AFP