Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumaça sai de fábrica na cidade francesa de Haubourdin, em 31 de outubro de 2013

(afp_tickers)

Duas agências da ONU anunciaram nesta terça-feira, a criação de um gabinete conjunto para ajudar a combater a ameaça que as mudanças climáticas e os fenômenos climáticos extremos representam para a saúde, como as ondas de calor.

Segundo cientistas, as inundações, as secas, os temporais e a elevação do nível do mar vão fortalecer doenças como malária, dengue e cólera.

A nova unidade criada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pela OMM (Organização Meteorológica Mundial) terá como objetivo prestar assessoria sobre os perigos para a saúde vinculados às mudanças climáticas.

"As mudanças climáticas estão causando um aumento de fenômenos extremos, como as ondas de calor e as fortes chuvas, o que tem um grande impacto na saúde humana", declarou o secretário-geral da OMM, Michel Jarraud, em um comunicado.

De acordo com Clare Nullis, porta-voz da OMS, o setor da saúde pede cada vez mais assessoramentos confiáveis sobre temas climáticos e meteorológicos.

A nova unidade começará a funcionar com um programa para ajudar o Malauí e a Tanzânia a incorporarem informações sobre temas climáticos e meteorológicos ao planejamento de suas políticas sanitárias.

AFP