Navigation

Operação da PF detém 26 perssoas e apreende aeronaves por tráfico internacional

Um policial brasileiro inspeciona um dos aviões apreendidos em uma operação policial contra uma enorme rede de tráfico de drogas, em um hangar em Palmas, estado de Tocantins, Brasil, em 21 de fevereiro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. fevereiro 2019 - 17:26
(AFP)

Pelo menos 26 pessoas foram presas nesta quinta-feira e vários aviões de pequeno foram apreendidos em uma operação da Polícia Federal (PF) contra uma enorme rede de tráfico de drogas que enviou 9 toneladas de cocaína entre 2017 e 2018 principalmente para os Estados Unidos e a Europa.

Cerca de 400 agentes de sete estados participaram da operação, que executou 54 mandatos de prisão e 81 de buscas e apreensão, informou a PF em comunicado.

A Justiça do Tocantins também pediu "o bloqueio de contas bancárias de aproximadamente 100 pessoas e empresas envolvidas, a apreensão de 47 aeronaves, o sequestro de 13 fazendas com mais de 10 mil cabeças de gado bovino", segundo a nota.

A PF não informou o número de aeronaves apreendidas, mas uma foto divulgada mostra pelo menos cinco em um hangar. Mecânicos modificaram o sistema de abastecimento de combustível "para aumentar a autonomia" das pequenas aeronaves.

A droga saía de avião da Bolívia, da Colômbia ou da Venezuela em direção a Brasil, Europa e Estados Unidos.

Uma fonte policial explicou à AFP que parte das fazendas tinham pistas de pouso utilizadas para o transporte da droga, enquanto outras foram adquiridas com dinheiro proveniente da rede de narcotráfico.

Autoridades brasileiras também pediram a inclusão de seis suspeitos na lista de pessoas buscadas pela Interpol.

A investigação iniciada há dois anos identificou "no mínimo 23 voos transportando em média 400 quilos de cocaína cada, totalizando mais de nove toneladas".

Também participaram da investigação a agência americana antidrogas DEA e a agência antiterrorista do Suriname CTIU, indicou a PF.

Com a colaboração dos dois organismos também resultou na apreensão, no Suriname, de um submarino, com capacidade de transportar 8 toneladas de drogas e construído para levar drogas até o continente africano.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.