Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foto de satélite capturada em 13 de outubro de 2017 mostra o furacão Ophelia

(afp_tickers)

O furacão Ophelia, que segundo os especialistas é o mais importante registrado tão a leste sobre o Oceano Atlântico, se dirigia neste domingo para Irlanda e Reino Unido provocando condições marítimas "perigosas", segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

O Ophelia alcançou no sábado a categoria 3, subindo um nível em uma escala de 5, antes de passar em frente ao arquipélago português dos Açores durante a noite.

Sete das nove ilhas desse arquipélago foram colocadas em "alerta vermelho", mas o furacão não causou danos importantes, informou o responsável da Proteção Civil regional à agência Lusa à 01h00 GMT, quando o furacão começava a se afastar dos Açores sem tocar terra.

Para os especialistas, Ophelia entrará para a história como o maior furacão registrado até agora tão a leste sobre o Atlântico, e o primeiro desde 1939 que avança tão ao norte.

Deve se transformar em tempestade "pós-tropical" neste domingo, mas continuará "potente" na segunda-feira quando se aproximar de Irlanda e Reino Unido, de acordo com as últimas previsões do Centro Nacional de Furacões.

Os serviços meteorológicos irlandeses colocarão cinco condados do país em "alerta vermelho" a partir de segunda-feira pela manhã, diante das previsões de rajadas de vento que podem superar os 130 km/h e o risco de inundações.

As autoridades britânicas, por sua vez, vão deixar algumas partes do Reino Unido em "alerta amarelo" na segunda e terça-feira. Este é o nível de alerta mais baixo e corresponde a um chamado à vigilância por condições meteorológicas "sérias".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP