Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A oposição moderada na Argentina pediu nesta segunda-feira que o presidente Mauricio Macri esclareça a presença de seu nome ligado a um paraíso fiscal conforme revelado pelo vazamento dos chamados "Panama Papers", depois que o govero negou qualquer responsabilidade em um comunicado

(afp_tickers)

A oposição moderada na Argentina pediu nesta segunda-feira que o presidente Mauricio Macri esclareça a presença de seu nome ligado a um paraíso fiscal conforme revelado pelo vazamento dos chamados "Panama Papers", depois que o govero negou qualquer responsabilidade em um comunicado.

O nome de Macri como diretor da sociedade Fleg Trading Ltd., que estaria registrada em Bahamas com a participação do pai e irmão do presidente, foi circunstancial, segundo a presidência argentina afirmou no domingo.

Macri assegurou que jamais teve participação alguma nessa firma.

Vários integrantes da Frente Renovadora (peronismo de centro-direita), o grupo político encabeçado por Sérgio Massa e que tem sido uma oposição moderada ao governo Macri desde sua posse em 10 de dezembro, expressaram nesta segunda-feira sua preocupação com o escândalo.

Macri se propôs como objetivo lutar contra a corrupção e a impunidade na Argentina, por isso "não pode existir a mínima dúvida na imagem do presidente, que deve entrar em cadeia nacional para dar uma explicação convincente", pediu Marco Lavagna, integrante da Frente Renovador.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.









swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP