Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder opositor do Quênia Raila Odinga durante coletiva de imprensa em Nairóbi no dia 16 de agosto de 2017

(afp_tickers)

A coalizão do líder da oposição no Quênia, Raila Odinga, denunciou nesta sexta-feira ao Tribunal Supremo os resultados das eleições presidenciais alegando fraude durante a votação.

Uma equipe de advogados da oposição apresentou uma ação de 9 mil páginas ao Supremo, menos de duas horas antes do final do prazo legal para o recurso, revelou a TV queniana.

O presidente em final de mandato, Uhuru Kenyatta, foi reeleito com 54% dos votos, contra 44,74% para Odinga.

O Supremo, integrado por sete juízes, dispõe de 14 dias para dar seu veredicto, definitivo.

Caso valide a eleição de Kenyatta, 55 anos, este tomará posse uma semana depois para um segundo mandato de cinco anos.

Se a eleição for anulada, a Comissão Eleitoral terá 60 dias para organizar novas eleições.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP