Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente do Parlamento, Henry Ramos Allup, participa de coletiva de imprensa, em Caracas, no dia 31 de maio de 2016

(afp_tickers)

Uma comissão de sete deputados da oposição venezuelana acionará na quarta-feira o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) para exigir a definição das regras e datas para convocar um referendo revogatório contra o presidente Nicolas Maduro ainda este ano.

O presidente do Parlamento, Henry Ramos Allup, afirmou nesta terça-feira que a comissão, chefiada pelo vice-presidente do Legislativo, Enrique Marquez, irá ao Conselho Nacional Eleitoral para depositar um documento no qual pede que defina "claramente as regras que não quer fixar".

Ramos Allup assegurou que o CNE, que é acusado pela oposição de servir ao chavismo, está atrasando o processo, com a intenção de que o referendo seja realizado após 10 de janeiro de 2017, já que se for realizado antes e em caso do presidente perder, deverá convocar novas eleições.

O líder parlamentar criticou a suspensão repentina na segunda-feira de uma reunião - já postergada em três ocasiões - entre o CNE e a oposição reunida na coalizão Mesa da Unidade Democrática (MUD), que se destinava a esclarecer as regras para o referendo revogatório. A reunião foi remarcada para quinta-feira.

A oposição venezuelana entregou um mês atrás 1,8 milhão de assinaturas - 9 vezes mais que o requerido - para acionar um pedido de referendo revogatório presidencial, mas que estão sendo verificadas pela CNE.

AFP