Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pedestres cruzam uma rua bloqueada por ativistas durante protesto convocado pela oposição, neste sábado, em Caracas

(afp_tickers)

A oposição venezuelana convocou a população, neste sábado (29), a intensificar os protestos contra a Assembleia Constituinte, a ser eleita no domingo, com bloqueios de ruas na província e com uma grande manifestação em Caracas.

"No interior do país, faremos um grande bloqueio nacional contra a ditadura a partir das quatro da manhã [5h, horário de Brasília]. E, em Caracas, por ser a capital, vamos todos juntos para uma mobilização para mostrar que não vão nos esmagar", afirmou o vice-presidente do Parlamento, Freddy Guevara, em um ato da coalizão Mesa da Unidade Democrática (MUD).

"Não pode haver enfrentamentos" contra aqueles que participarem da eleição dos constituintes que reformarão a Carta Magna.

"Amanhã [domingo] não pode haver enfrentamentos povo contra povo. Pedimos que nos ajudem. A luta é povo contra Estado. O adversário não são os outros venezuelanos", acrescentou.

Guevara pediu aos cidadãos que mostrem, com os protestos de domingo e dos próximos dias, que "não deixarão de lutar" até mudar o governo.

O deputado garantiu que, embora o governo ameace com até dez anos de prisão quem impedir o processo, os venezuelanos vão às ruas protestar.

"Não vão ter tranquilidade, enquanto o povo não tiver paz. Nos momentos mais difíceis e de maior repressão, é quando o ditador está prestes a sair a chutes do país", completou.

AFP