Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder opositor Sergei Udaltsov, no tribunal de Moscou

(afp_tickers)

Um tribunal russo declarou nesta quinta-feira o opositor russo de extrema esquerda Serguei Udaltsov e um de seus colaboradores culpados por "distúrbios em massa" nas manifestações de 2011 e 2012 contra o presidente Vladimir Putin.

"Apesar das afirmações dos detidos, o conjunto de provas demonstra totalmente sua culpabilidade", declarou o juiz ao ler o veredicto.

Um dos colaboradores de Udaltsov, Leonid Razvozjaev, foi declarado culpado dos mesmos crimes.

Udaltsov, de 37 anos, era um dos chefes da oposição durante as manifestações de 2011 e 2012 em Moscou contra Putin. Sua formação, a Frente de Esquerda, representava a ala esquerda radical do movimento de protesto.

O opositor se encontra sob prisão domiciliar desde fevereiro de 2013 e desde então não pode sair de sua residência, nem usar o telefone ou a internet.

Razvozjaev, de 41 anos, era conselheiro de um deputado russo da oposição. Foi detido em outubro de 2012. Algumas fontes afirmam que foi sequestrado na Ucrânia quando pretendia pedir asilo e foi levado à força para a Rússia.

Foi aberta uma investigação sobre os dois homens depois que a tv pró-Kremlin NTV difundiu um documentário afirmando que vários opositores como Udaltsov se preparavam para derrubar o governo.

Nesta quinta-feira, vários ativistas se reuniram perto do tribunal com cartazes que pediam a liberdade do opositor.

AFP