AFP

Alexei Navalny, em Moscou, no dia 30 de março de 2017

(afp_tickers)

O opositor russo Alexei Navalny fez um chamado nesta quarta-feira para que os russos protestem em todo o país em 12 de junho, após as manifestações anticorrupção do fim de março, que tiveram uma adesão incomum e terminaram com centenas de prisões.

Navalny foi libertado na segunda-feira, após ter passado 15 dias preso pela organização de uma ampla manifestação anticorrupção não autorizada em Moscou e de ter se negado a obedecer os policiais.

"Vamos às ruas em 12 de junho com os mesmos lemas e sob a bandeira nacional", escreveu o opositor em sua página na internet. "Temos dois meses para nos preparar. Vamos reunir mais gente", acrescentou Navalny.

Em 12 de junho celebra-se o Dia da Rússia, que comemora a proclamação da independência em 1990, meses antes da dissolução oficial da União Soviética.

Navalny foi detido juntamente com mais de mil pessoas em 26 de março à margem das manifestações, que tiveram uma adesão inédita em vários anos e conseguiram mobilizar principalmente um grande número de jovens.

Estas manifestações, organizadas em todo o país, ocorreram depois que o opositor publicou um informe no qual acusou o primeiro-ministro, Dmitri Medvedev, de estar à frente de um império imobiliário financiado por oligarcas.

O blogueiro anticorrupção tem previsto disputar com Vladimir Putin a Presidência nas eleições previstas para o início de 2018, mas sua candidatura poderia ser ofuscada por sua recente condenação a cinco anos de prisão com condicional por desvio de recursos.

AFP

 AFP