O candidato opositor Ekrem Imamoglu foi proclamado vencedor das eleições municipais em Istambul pela autoridade eleitoral, que entregou o documento de posse de prefeito nesta quarta-feira, anunciou seu partido.

Imamoglu recebeu o documento, emitido pelo Alto Comitê Eleitoral (YSK), apesar do recurso apresentado na terça-feira pelo partido do presidente Recep Tayyip Erdogan exigindo uma nova apuração, por considerar a de 31 de março repleta de "irregularidades".

Candidato do partido de oposição CHP (social-democrata), Imamoglu foi aplaudido por dezenas de partidários em sua chegada na sede do YSK no complexo que abriga o palácio da Justiça em Istambul, de acordo com um correspondente da AFP.

"Ekrem Imamoglu obteve seu mandato. Agora vamos para a prefeitura", disse à multidão o deputado Engin Altay de uma das sacadas do palácio de Justiça.

De acordo com o CHP, a posse deve ocorrer às 15h00 GMT (12h00 de Brasília) na prefeitura de Istambul, controlada há 25 anos por políticos do movimento islamita.

"Estou muito feliz", disse à AFP Ilayda Pembe, estudante de arquitetura de 25 anos e simpatizante do CHP. "Eu comecei a acreditar que ele nunca teria seu mandato".

O partido do presidente Erdogan apresentou oficialmente um recurso na terça-feira para exigir uma nova votação em Istambul, dizendo que a realizada em 31 de março foi marcada por "irregularidades".

AKP afirma ter fornecido à YSK "três malas cheias de documentos" que sustentam suas acusações.

Esse recurso foi apresentado mais de duas semanas após a votação, num momento em que as operações de recontagem chegavam ao seu fim em Istambul.

De acordo com os resultados provisórios dessas eleições municipais, o AKP de Erdogan venceu a nível nacional, mas sofreu uma terrível derrota ao perder a capital, Ancara, e a maior cidade do país, Istambul, num contexto de recessão econômica.

Recusando-se a admitir a derrota em Istambul, Erdogan denunciou "irregularidades" massivas.

O AKP alega que as assembleias de voto subestimaram o número de votos obtidos pelo seu candidato, o ex-primeiro-ministro Binali Yildirim, e afirma que milhares de pessoas foram indevidamente inscritas nos cadernos eleitorais.

O partido presidencial apresentou vários recurspss ao YSK que levaram a uma recontagem parcial, de cerca de 300.000 votos contabilizados como nulos no dia da votação.

Na terça-feira à noite, a recontagem terminou no disputado distrito de Maltepe Maltep, confirmando a vitória de Imamoglu com 13.500 votos à frente de seu rival, de acordo com o CHP.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.