Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O opositor venezuelano Henrique Capriles, em Caracas, no dia 24 de junho de 2016

(afp_tickers)

O opositor venezuelano Henrique Capriles acusou nesta terça-feira o secretário-geral da Unasul, Ernesto Samper, de ser um "aliado" do presidente Nicolás Maduro e não de uma saída para a crise no país.

"O senhor Samper é um aliado de Maduro. O senhor Samper não é um aliado dos venezuelanos ou de uma solução para a crise", disse Capriles à imprensa.

O dirigente respondeu nestes termos ao ser consultado sobre a mediação internacional realizada na Venezuela pela União das Nações Sul-Americanas (Unasul).

Capriles reafirmou que "há desconfiança" também em relação ao trabalho do ex-chefe de governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero, que lidera a missão integrada pelos ex-presidentes Martín Torrijos (Panamá) e Leonel Fernández (República Dominicana).

O líder opositor afirma que o ex-presidente espanhol tem reservas sobre o referendo para revogar o mandato de Maduro, cuja popularidade afunda com o agravamento da crise econômica.

A coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) exige que o referendo se realize este ano, o que o governo considera impossível diante dos trâmites legais.

Caso a consulta se realize antes de 10 de janeiro próximo e Maduro perca, haverá eleições antecipadas, mas após este prazo assume o vice-presidente chavista Aristobulo Isturiz.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP