Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O líder opositor Leopoldo López, em São Paulo, no dia 4 de outubro de 2011

(afp_tickers)

A defesa do líder opositor venezuelano Leopoldo López, condenado a quase 14 anos de prisão, pediu nesta segunda-feira que sua audiência de apelação prevista para a próxima quinta seja pública.

"Esta audiência oral tem que ser pública e todos os argumentos da defesa devem ser ouvidos, atendidos e corretamente aplicados com base no Estado de direito que precisa imperar na Venezuela", disse à imprensa Juan Carlos Gutiérrez, advogado do líder opositor.

López, 45 anos, foi condenado por incitar à violência durante os protestos entre fevereiro e maio de 2014, que deixaram 43 mortos.

Gutiérrez quer que familiares, jornalistas e representantes de organizações não governamentais possam assistir à sessão.

"É preciso garantir o direito à publicidade da audiência", insistiu o advogado.

A defesa de López pede ainda à corte que admita a incorporação à equipe de defensores dos espanhóis Alberto Ruiz Gallardón, ex-ministro da Justiça, e do advogado Javier Cremades.

"Os advogados internacionais ratificaram sua intenção de assistir à audiência e vão estar no ato", disse Gutiérrez.

No dia 20 de junho passado, a Corte de Apelações adiou a audiência porque uma juíza estava doente.

A defesa de López alega que ele foi condenado por motivos políticos e com provas falsas, violando seu direito de defesa.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP