Navigation

Organização afirma que surto de sarampo na Venezuela está sob controle

(Arquivo) A Venezuela informou em julho de 2017 os primeiros casos de sarampo do surto atual, um genótipo originalmente relatado na Ásia e, mais tarde, na Europa afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. janeiro 2020 - 21:54
(AFP)

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) afirmou nesta quinta-feira que o surto de sarampo na Venezuela "está sob controle", dois anos e meio depois de serem relatados os primeiros casos da doença.

"Os novos casos confirmados se reduziram em 91% em 2019 em comparação com 2018", informou a OPS em um comunicado.

A Venezuela informou em julho de 2017 os primeiros casos de sarampo do surto atual, um genótipo originalmente relatado na Ásia e, mais tarde, na Europa.

Desde então e até o ano passado, a Venezuela notificou 7.054 casos confirmados de sarampo e 84 mortes. Em 2018, houve 5.779 casos confirmados e 75 mortes, enquanto em 2019 foram relatados 548 casos confirmados e três mortes, segundo os registros divulgados nesta quarta-feira.

"Agora, o principal desafio na Venezuela é garantir o abastecimento de vacinas e outros insumos, e manter as coberturas de vacinação acima de 95% em todo o país, algo fundamental para diminuir o risco de novos casos e prevenir surtos", disse a organização.

A Opas, que nos últimos anos pediu várias vezes para a Venezuela implementar um plano para frear a transmissão do sarampo, disse que para controlar o surto atual foram investidos 7 milhões de dólares, aportados pela própria OPS, a Organização Mundial da Saúde, os Estados Unidos, a União Europeia e o Canadá.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.