AFP

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, em Londres, em 10 de maio de 2017

(afp_tickers)

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse nesta quarta-feira, depois de se reunir em Londres com a primeira-ministra Theresa May, que são necessários milhares de soldados adicionais para contrabalançar os talibãs no Afeganistão.

"O pedido de nossos responsáveis militares é de milhares (de soldados) adicionais", disse Stoltenberg ao sair de Downing Street.

"Estamos avaliando esta demanda. Decidiremos em algumas semanas a escala e o alcance da missão", acrescentou, ressaltando "que não se trata de retornar às operações de combate", mas fornecer "treinamento, assistência e assessoria" aos afegãos.

"Estamos agora falando com nossos aliados", acrescentou o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte.

Atualmente, a Otan conta com 13.000 efetivos no país asiático, assessorando o exército local.

No caso do Reino Unido, conta com 500 militares, depois de ter alcançado o auge de sua presença em 2009, com 9.500 mobilizados em mais de 120 postos, situados sobretudo no sul do país, a região onde os talibãs eram mais fortes.

Em 2014, após 13 anos no país, a maioria do contingente britânico voltou para casa com seus colegas da Otan quando a aliança decretou o fim de suas missões de combate.

A demanda de Stoltenberg coincide com a tradicional ofensiva talibã de primavera.

AFP

 AFP