Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Hong Kong e Macau elevaram para 8 o nível de alerta pela passagem de uma nova tormenta

(afp_tickers)

Uma segunda tempestade atingiu Hong Kong e Macao neste domingo, poucos dias depois que o potente tufão Hato arrasou a região sul da China e deixou 18 mortos.

As duas cidades elevaram o grau de alerta para oito ante a chegada da tempestade tropical Pakhar, em um momento em que os serviços de emergência ainda tentam reparar os danos de Hato.

A companhia aérea de bandeira de Hong Kong Cathay Pacific e a companhia Cathay Dragon cancelaram 50 voos neste domingo e deverá haver mais atrasos e cancelamentos.

Com um nível de alerta 8, a bolsa de valores e as escolas permanecem fechadas.

Pakhar, batizado em homenagem a um peixe de água doce originário do rio ekong, tocou tem terra quando a região mal se recuperava da passagem do tufão Hato.

Dezesseis pessoas morreram em Macau e no sul da China com a passagem de Hato, que também varreu o território chinês de Hong Kong, onde provocou um rastro de destruição.

Na ex-colônia portuguesa, a passagem do tufão, provocou oito mortes e grandes inundações.

Na vizinha província de Guangdong, no sul da China, o tufão deixou ao menos quatro mortos e cerca de 27 mil desabrigados, que estão em refúgios temporários, revelou a agência oficial Xinhua.

Em Macau, oito pessoas morreram e uma delas foi vitimada pelo desabamento de um muro, enquanto outra caiu do quarto andar de um prédio e uma terceira, um turista chinês, foi atropelada por um caminhão.

A energia elétrica foi cortada em vários pontos de Macau e as autoridades se viram obrigadas a limitar o fornecimento de água potável.

Em Hong Kong, o tufão Hato também provocou estragos, deixando 120 feridos e mais de 300 desabrigados.

Ondas gigantes foram registradas e vários bairros ficaram inundados.

As rajadas de vento chegaram a 207 km/h e derrubaram janelas e vitrines, assim como árvores.

Hong Kong é afetado com frequência por tufões entre julho e outubro, mas um impacto direto como o provocado pelo Hato é incomum.

Em 1962, o tufão Wanda, com ventos de 284 km/h, atou 130 pessoas e deixou 72.000 desabrigados.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP