AFP

Policiais em Colônia, em 21 de abril de 2017

(afp_tickers)

Um soldado alemão de extrema direita foi preso sob a acusação de participar de um projeto de atentado contra personalidades políticas, juntamente com dois outros homens que foram presos em abril, informou nesta terça-feira a Procuradoria anti-terrorista.

O novo suspeito foi identificado como Maximilian T., de 27 anos. Ele é acusado de "preparar um grave ataque" com seus dois supostos cúmplices presos no final de abril: Mathias A., um estudante alemão de 24 anos, e o oficial da Bundeswehr Franco Albrecht, de 28 anos.

Os três homens visavam personalidades que, em sua opinião, são responsáveis ​​por uma "política de migração falha" ou que estão "comprometidos com a acolhida dos refugiados", informa o comunicado.

Os três acusados já tinham listas de potenciais alvos, incluindo o presidente alemão Joachim Gauck e o atual ministro da Justiça, Heiko Maas.

A ideia do trio era atacar essas personalidades e fazer com que as suspeitas recaíssem sobre "requerentes de asilo na Alemanha".

Para isso, semeariam indícios que levassem os investigadores a um refugiado sírio que nunca existiu, já que se tratava de uma identidade falsa adotada pelo oficial Albrecht.

Este oficial destacado na base franco-alemã de Illkirch, no leste da França, foi capaz de se passar por um refugiado sírio em seu país, e sob essa falsa identidade ganhou asilo no início de 2016 na Alemanha.

AFP

 AFP