Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O conglomerado Procter & Gamble, dono da marca Gillette, lucrou 2,2 bilhões no segundo trimestre de 2017

(afp_tickers)

A Procter & Gamble anunciou, nesta quinta-feira, um salto nos lucros trimestrais. A empresa estima vendas maiores no próximo ano fiscal.

O conglomerado de marcas como Gillete, Ariel, Oral-B e Hipoglós afirmou que, no quatro semestre do ano fiscal, seu lucro saltou para 2,2 bilhões de dólares, alta de 13,5% em relação ao mesmo período de 2016.

As vendas, contudo, se mantiveram praticamente inalteradas, em 16,1 bilhões de dólares. Os setores mais fortes foram os de produtos de cuidados com a pele e com tecidos, enquanto a arrecadação com artigos de higiene recuou, devido à queda dos preços nos Estados Unidos.

"Resumindo 2017, nós entregamos na medida ou acima dela cada um de nossos objetivos, num ano muito desafiador, e fizemos progressos significativos em prioridades-chave", disse à imprensa numa teleconferência o CFO da empresa Jon Moeller.

A P&G projeta que as vendas vão aumentar cerca de 3% no próximo ano fiscal, bem como os lucros por ação, com alta estimada de 5% a 7%.

AFP