Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Enfermeiro cola panfletos com informações sobre o Ebola, em uma clínica de Monróvia

(afp_tickers)

Um padre espanhol permanecia isolado no hospital São José de Monróvia com Ebola, informou nesta terça-feira a organização Juan Ciudad, à qual ele pertence.

"Os resultados dos exames de Ebola foram confirmados. Portanto, a Ordem Hospitalar de San Juan de Dios (OHSJD) informa que o padre espanhol Miguel Pajares", juntamente com outras duas missionárias, "deram positivo para o teste de vírus Ebola", informou a organização em um comunicado em seu site.

As outras duas missionárias são a congolesa Chantal Pascaline Mutwamene e a guineana Paciencia Melgar.

"A OHSJD já comunicou ests informação aos ministérios das Relações Exteriores e da Cooperação, e da Saúde da Espanha", acrescentou o comunicado.

O hospital foi fechado e seis pessoas estão isoladas.

Desde março, 887 pessoas morreram na África devido ao último surto de Ebola, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Desde o seu surgimento, em 1976, o vírus matou dois terços das pessoas infectadas.

Dois americanos, um médico e uma missionária que trabalhavam na Libéria, foram infectados com o vírus Ebola recentemente.

O médico Kent Brantly foi repatriado no sábado para os Estados Unidos e a missionária Writebol Nancy deve ser transferida ainda nesta terça-feira.

AFP