Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O jogador argentino Carlos Tévez é visto em 3 de abril de 2013

(afp_tickers)

O pai do jogador argentino Carlos Tévez foi libertado nesta terça-feira, após oito horas de sequestro em um subúrbio de Buenos Aires, em um caso que mobilizou as máximas autoridades de segurança do país, informou o advogado da família do jogador da Juventus.

Segundo o advogado Gustavo Galasso, o pai (de criação) do jogador "está livre, bem e já se reencontrou com a família".

Em mensagem no Twitter, Carlos Tévez agradeceu "a todos pelo apoio de sempre e afirmou que seu pai está são e salvo". "Isto é o mais importante".

A família de Segundo Tévez pagou um resgate por sua libertação, informou o secretário de Segurança, Sergio Berni.

"A prioridade é preservar a integridade física da vítima. Como diz o protocolo, existe o pagamento de resgate", explicou Berni.

De acordo com a imprensa, Tévez pagou 600 mil pesos (73.000 dólares) ao sequestradores.

O jogador, que atua na Itália, estava pronto para viajar à Argentina mas "decidiu não viajar diante das boas notícias dos últimos momentos", revelou Daniel Scioli, governador da província de Buenos Aires, que conversou com o atleta.

Segundo a imprensa, o pai de Tévez foi sequestrado na madrugada desta terça-feira, quando dirigia seu automóvel na região de Morón, subúrbio de Buenos Aires.

A princípio, os criminosos queriam apenas levar o carro, mas quando observaram o sobrenome Tévez nos documentos decidiram realizar o sequestro.

AFP