Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Padres assistem a uma missa na Basílica do Santo Sepulcro, em Jerusalém

(afp_tickers)

O Papa Francisco enviará ao Iraque o cardeal Fernando Filoni, antigo núncio naquele país, para apoiar a população, em parte cristã, que foge diante do avanço dos jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI), anunciou nesta sexta-feira o Vaticano.

O porta-voz do Pontífice indicou que "diante da grave situação, o Santo Padre nomeou o cardeal Filoni, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, como seu enviado com o objetivo de expressar sua proximidade espiritual com as populações que sofrem e fornecer a solidariedade da Igreja".

Em uma breve declaração, Federico Lombardi indicou que o cardeal Filone viajará rapidamente, mas que a data e o itinerário eram analisados no momento.

O enviado de Francisco viajará ao Curdistão iraquiano, para onde se dirigem as pessoas deslocadas no norte do Iraque, segundo Lombardi.

"Está previsto que também forneça uma ajuda da parte do Santo Padre" aos refugiados, disse o porta-voz, ressaltando que o Papa respondia, assim, ao apelo lançado na véspera pela comunidade internacional para ajudar as comunidades cristãs e yazidis deslocadas, entre outras.

O cardeal Filoni, que não acompanhará o Papa em sua visita à Coreia do Sul de 13 a 19 de agosto, também se reunirá com as autoridades políticas e os bispos da região, acrescentou Lombardi.

Filoni, núncio no Iraque e na Jordânia de 2001 a 2006, foi o único representante estrangeiro que continuou em Bagdá durante a intervenção militar americana de 2003 para derrubar o ditador Saddam Hussein.

AFP