Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Francisco abençoa Meriam e sua filha, durante uma audiência privada no Vaticano

(afp_tickers)

O Papa Francisco recebeu nesta quinta-feira no Vaticano a jovem sudanesa Meriam Yahia Ibrahim Ishag, que havia sido condenada à morte por traição ao Islã ao se converter ao cristianismo e que foi indultada por pressão internacional.

A jovem, de 26 anos, chegou nesta quinta-feira a bordo de um avião oficial italiano junto com seu marido e seus dois filhos.

Pouco depois de pousar na capital italiana, a jovem foi recebida pelo Papa em sua residência do Vaticano, a casa Santa Marta, indicou o gabinete de imprensa da Santa Sé.

"A reunião durou menos de meia hora e se desenvolveu em um clima sereno e afetuoso", indicou em um comunicado oficial.

Francisco elogiou "o testemunho valente e a perseverança" da jovem para defender sua fé religiosa.

Por sua vez, a jovem agradeceu ao pontífice pelo apoio e alívio que lhe deu através de suas orações.

"Com este gesto, o Papa quis mostrar sua proximidade, sua atenção e oração a todos os que sofrem por sua fé e especialmente aos cristãos que sofrem perseguições ou restrições em sua liberdade religiosa", explicou na nota o Vaticano.

Meriam estava acompanhada por seu marido, Daniel Wani, e por seus dois filhos, Martin, de um ano e meio, e Maya, que nasceu há dois meses na prisão na qual cumpria sua condenação.

Meriam Yahia Ibrahim Ishag, de pai muçulmano, foi condenada à morte no dia 15 de maio em virtude da lei islâmica em vigor no Sudão, que proíbe as conversões.

Casada com um cristão e mãe de um menino de 20 meses, que foi detido com ela, a jovem também foi condenada a 100 chibatadas por adultério. A interpretação sudanesa da sharia considera adultério a união entre uma muçulmana e um não muçulmano.

AFP