Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vítimas com queimaduras internadas em um hospital de Bahawalpur

(afp_tickers)

O balanço do incêndio de um caminhão-tanque no Paquistão, em direção do qual várias pessoas correram para tentar recolher a gasolina derramada, subiu para 153 mortos nesta segunda-feira, dia em que o país inicia o Eid El Fitr, que marca o fim do Ramadã.

"Este dia do Eid se tornou um dia de luto e dor para nós", afirmou o primeiro-ministro Nawaz Sharif, que interrompeu uma viagem a Londres para retornar ao país.

"Faremos deste acidente um exemplo para que isto não volte a acontecer", completou, ao anunciar uma investigação e o pagamento de dois milhões rupias (19.000 dólares, 17.000 euros) às famílias dos mortos e de um milhão de rupias para as famílias dos feridos.

De acordo com a polícia, o caminhão transportava 40.000 litros de combustível de Karachi a Lahore, a capital da província de Punjab.

O acidente aconteceu nas primeiras horas de domingo perto da cidade de Ahmedpur East, 500 quilômetros ao sul de Lahore

Testemunhas afirmaram que um pneu furou após a necessidade de uma manobra brusca, o que levou o caminhão a tombar, informou a polícia.

Ignorando as advertências dos guardas de trânsito e do motorista co caminhão, dezenas de moradores das proximidades correram com baldes e garrafas para recolher o combustível derramado.

O incêndio começou pouco depois e o caminhão se tornou uma bola de fogo, que atingiu dezenas de pessoas e automóveis.

"O balaço subiu para 153 mortos e há muitos feridos em estado crítico", afirmou o diretor do hospital Victoria, Javed Iqbal.

O fim do Ramadã já havia sido marcado por uma série de atentados que deixaram 69 mortos em todo o país.

AFP