Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Uma paquistanesa vítima de casamento forçado foi detida depois de ser acusada de matar 13 pessoas com leite envenenado destinado a seu marido

(afp_tickers)

Uma paquistanesa vítima de casamento forçado foi detida depois de ser acusada de matar 13 pessoas com leite envenenado destinado a seu marido, informou a polícia.

Asiya Bibi, casada contra sua vontade em setembro na localidade de Valvati, na província de Punjab (centro), admitiu que colocou o veneno em um copo de leite destinado a seu marido, indicou Owais Ahmad, chefe de polícia da região.

O marido, no entanto, não bebeu o leite e passou o líquido para uma jarra lassi, uma popular bebida a base de iogurte.

Vinte e sete pessoas se serviram da jarra e 13 faleceram, incluindo o marido.

As outras 14 pessoas foram hospitalizadas, de acordo com Ahmad.

"A polícia prendeu Asiya Bibi, um homem e sua tia, por cumplicidade, e os acusou de assassinato", afirmou o chefe de polícia.

Ahmad afirmou que homem detido é o suposto amante de Asiya Bibi e que a tia é o cérebro do assassinato.

Os casamentos forçados, em particular de menores de idade, são comuns no Paquistão, principalmente nas províncias pobres e rurais do país, onde centenas de mulheres são vítimas a cada ano de assassinatos pela honra.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP