Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ministro americano da Defesa, Jim Mattis, em Bruxelas, em 29 de junho de 2017

(afp_tickers)

O chefe do Pentágono, Jim Mattis, disse nesta sexta-feira que ele acredita que o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, está vivo, após várias semanas de rumores que o apontavam como morto.

"Acho que Bagdadi está vivo. Pensarei de outra forma quando soubermos que o matamos", declarou a imprensa. "Procuramos por ele, mas assumimos que está vivo".

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que monitora o conflito sírio desde o início, anunciou na semana passada que o líder do grupo extremista havia morrido, segundo confirmaram responsáveis do EI na província de Deir Ezzor.

O Exército russo também disse em meados de junho que tentava confirmar se assassinaram Al-Baghadadi em um bombardeio realizado na Síria no mês anterior.

O líder extremista, nascido no Iraque e pelo qual há uma recompensa no valor de 25 milhões de dólares, sempre foi discreto e se movimenta supostamente pelos territórios controlados pelo EI na Síria e no Iraque.

Não é visto em público desde 2014, quando se apresentou como "califa" na Grande Mesquita Al-Nuri de Mossul, destruída na batalha para recuperar o controle da segunda cidade mais importante do Iraque.

AFP