Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, em Paris, no dia 3 de junho de 2016

(afp_tickers)

O presidente do Paraguai, Horacio Cartes, disse nesta sexta-feira que o mundo "é testemunha dos abusos dos direitos humanos" na Venezuela, e afirmou que não permanecerá em silêncio sobre a situação naquele país.

"O mundo é testemunha dos abusos sofridos pelo povo da Venezuela", declarou Cartes durante sua mensagem anual ao Congresso.

"Quando os direitos humanos e as liberdades fundamentais não são respeitados, como ocorre neste momento na Venezuela, não podemos permanecer em silêncio".

Cartes denunciou a contradição de alguns países do Mercosul que invocam seu apego a princípios e valores democráticos e se omitem no caso venezuelano.

"Estes valores não devem se resumir a declarações e recomendações. Devem marcar o caminho como norma de vida e de conduta pública no âmbito que nos cabe atuar".

O chanceler paraguaio, Eladio Loizaga, criticou na quarta-feira Uruguai e Argentina, que manifestaram sua disposição de transferir a presidência temporária do Mercosul para a Venezuela.

Loizaga afirmou que o Brasil tem a mesma posição que o Paraguai e disse que está conversando com o chanceler José Serra sobre o tema, com a qual concorda em muitos pontos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP