Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Pessoas seguram uma grande bandeira do Paraguai em Assunção, no dia 19 de outubro de 2015

(afp_tickers)

A chancelaria do Paraguai convocou nesta quinta-feira o encarregado de Negócios da Venezuela, Fritz Petersen, a quem o diretor-geral da Política Multilateral, Luis Avalos, transmitiu a insatisfação de seu governo por expressões do presidente Nicolás Maduro consideradas degradantes para o país.

"O senhor Petersen compareceu a essa reunião e expressei a minha insatisfação pelas declarações depreciativas ao Paraguai", disse Ávalos a jornalistas.

O embaixador venezuelano, Enrique Jara Ocampos, estava de repouso médico.

"A oligarquia paraguaia corrupta e narcotraficante nos persegue, agora Macri da Argentina nos persegue, fracassado, repudiado por seu povo, a ditadura imposta pelo Brasil agora nos persegue...", disse entre outras coisas o chefe de Estado venezuelano.

Avalos disse a Perterssen que Maduro "feriu os sentimentos nacionais" dos paraguaios ao classificar de "tríplice aliança" o consenso entre Argentina, Brasil e Paraguai para não reconhecer sua presidência pro tempore à frente do Mercosul.

"É um termo duplamente injuriante", disse Avalos, ao evocar a Guerra em que o Paraguai enfrentou Argentina, Brasil e Uruguai no século XIX, conhecida também como Guerra da Tríplice Aliança (no Brasil conhecida como Guerra do Paraguai), que dizimou a população do país.

"O governo paraguaio foi respeitoso com o governo venezuelano e com seu povo", disse Avalos após lembrar que, há pouco tempo, o Paraguai se encontrava em uma situação parecida "e nunca dirigiu palavras ofensivas a qualquer país do bloco".

Avalos disse que o embaixador paraguaio na Venezuela será chamado a consultas e que seu governo avaliará a possibilidade de retirar sua representação diplomática de Caracas.

Os coordenadores de Argentina, Brasil e Paraguai se reúnem nesta quinta-feira em Montevidéu para discutirem uma saída para a crise política gerada pela posição unilateral de Maduro de assumir a presidência do bloco.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP