Navigation

Parlamentar somali morre em ataque reivindicado por islamitas

Jovens observam policial, integrante da missão da União Africana na Somália, em Mogadíscio, em 9 de novembro de 2012. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. julho 2014 - 12:11
(AFP)

Um parlamentar somali morreu e outro foi ferido nesta quinta-feira em um ataque em Mogadíscio reivindicado pelos islamitas shebab, vinculados à Al-Qaeda.

O parlamentar Ahmed Mohamud Hayd, ex-ministro, morreu em um bairro da zona portuária, uma das áreas da cidade com maior presença policial.

Homens armados a bordo de um carro abriram fogo contra os deputados quando os políticos saíam de um hotel.

Os islamitas somalis shebab reivindicaram o ataque.

"Foi um assassinato seletivo, também ferimos outro parlamentar e dois seguranças", afirmou o porta-voz dos shebab, Abdulaziz Abu Musab.

"Vamos continuar caçando os demais parlamentares, caso não acabem com esta organização apóstata", completou, em referência ao Parlamento somali.

Os shebab anunciaram o aumento dos ataques durante o mês do Ramadã, que começou no domingo passado. Durante a semana executaram várias operações violentas, sobretudo contra soldados.

Os shebab foram expulsos de Mogadíscio em agosto de 2011 pela força africana Amisom e posteriormente de quase todos os seus redutos do sul e centro do país, mas ainda controlam amplas zonas rurais.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.