Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Jovens observam policial, integrante da missão da União Africana na Somália, em Mogadíscio, em 9 de novembro de 2012.

(afp_tickers)

Um parlamentar somali morreu e outro foi ferido nesta quinta-feira em um ataque em Mogadíscio reivindicado pelos islamitas shebab, vinculados à Al-Qaeda.

O parlamentar Ahmed Mohamud Hayd, ex-ministro, morreu em um bairro da zona portuária, uma das áreas da cidade com maior presença policial.

Homens armados a bordo de um carro abriram fogo contra os deputados quando os políticos saíam de um hotel.

Os islamitas somalis shebab reivindicaram o ataque.

"Foi um assassinato seletivo, também ferimos outro parlamentar e dois seguranças", afirmou o porta-voz dos shebab, Abdulaziz Abu Musab.

"Vamos continuar caçando os demais parlamentares, caso não acabem com esta organização apóstata", completou, em referência ao Parlamento somali.

Os shebab anunciaram o aumento dos ataques durante o mês do Ramadã, que começou no domingo passado. Durante a semana executaram várias operações violentas, sobretudo contra soldados.

Os shebab foram expulsos de Mogadíscio em agosto de 2011 pela força africana Amisom e posteriormente de quase todos os seus redutos do sul e centro do país, mas ainda controlam amplas zonas rurais.

AFP