Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(12 set) O presidente do Curdistão iraquiano, Masud Barzani (centro), participa de reunião com personalidades curdas e peshmergas, em Kirkuk

(afp_tickers)

O Parlamento do Curdistão iraquiano, que não se reúne há mais de dois anos, irá se pronunciar nesta sexta-feira sobre o referendo de independência de 25 de setembro, três dias depois da votação contrária à consulta pelo Parlamento de Bagdá.

"O Parlamento se reunirá na sexta-feira às 19H00 (13H00 de Brasília) para dar um marco legal ao referendo", afirmou o porta-voz da assembleia da região autônoma do norte do Iraque.

A votação estava prevista, a princípio, para esta quinta-feira, "mas o prazo para convocar uma votação é de 48 horas para permitir a chegada dos membros que moram fora de Erbil", completou o porta-voz,

O Parlamento federal iraquiano votou contra a consulta na quinta-feira.

Outros países vizinhos temem que as ideias separatistas de Erbil se propaguem para suas próprias comunidades curdas.

Até agora, o referendo, anunciado pelo presidente curdo Masud Barzani, não foi assumido pelas instituições locais, levando em consideração que o mandato de Barzani terminou há dois anos e que o Parlamento não se reúne no mesmo período.

Em 25 de setembro, quase 5,5 milhões de curdos estão convocados para votar a favor ou contra a independência do Curdistão iraquiano, que desde 1981 tem uma autonomia, que foi ampliada com o passar dos anos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP