Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A presidente argentina, Cristina Kirchner

(afp_tickers)

Os candidatos próximos à presidente argentina, Cristina Kirchner, foram os mais votados nas primárias para governador da província de Chaco (nordeste), segundo o balanço oficial divulgado nesta segunda-feira, visando às presidenciais de 25 de outubro.

Segundo a apuração de 99% das mesas de votação, os quatro grupos kirchneristas (peronismo de centro-esquerda) somaram 59,62% e consagraram Domingo Peppo (94,40%) como candidato a governador para as eleições de 20 de setembro.

A única postulante de uma frente opositora, Aída Ayala, reuniu 37,41% dos votos, segundo o balanço provisório.

Ayala pertence à União Cívica Radical (UCR, social-democrata), mas conta com os apoios de Mauricio Macri, prefeito de Buenos Aires e pré-candidato presidencial do PRO (Proposta Republicana, direita) e do deputado Sergio Massa (peronismo de centro-direita).

Macri soma 32% das intenções de voto e aparece como o maior adversário de Daniel Scioli (33%), pré-candidato aliado de Kirchner, segundo uma pesquisa da consultora Management & Fit que aponta Massa em terceiro lugar (13%) para as primárias presidenciais de 9 de agosto.

Kirchner (62 anos) completa no dia 10 de dezembro seu segundo e último mandato e ainda não definiu seu sucessor.

O governismo obteve neste ano duas vitórias nas eleições para governador de Salta (norte) e Neuquén (sudeste).

Nas primárias provinciais, o PRO foi o mais votado em Santa Fe (centro e terceiro distrito eleitoral) e na cidade de Buenos Aires, enquanto em Mendoza (centro-oeste, quinto distrito) a UCR foi o partido mais votado, com apoios de Macri e Massa.

AFP