Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Moradores tentam limpar as ruas após a destruição provocada pelo rufão Damrey

(afp_tickers)

Ao menos 27 pessoas morreram e 22 estão desaparecidas após a passagem do tufão Damrey pelo Vietnã, anunciaram as autoridades neste domingo, a poucos dias da reunião de cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) que acontecerá no país.

A tempestade, que tocou a terra no sábado, foi a mais violenta a atingir a costa sul do país em várias décadas. Em geral, esta região não é afetada pela temporada de tufões que castiga o norte do país.

Mais de 40.000 casas ficaram destruídas pelas fortes chuvas, com ventos de até 130 km/h que devastaram a região e deixaram 27 mortos e 22 desaparecidos, de acordo com a agência estatal que coordena a gestão de desastres.

A província costeira de Khanh Hoa foi a mais afetada, com 16 mortos e 10 feridos. Mais de 30.000 pessoas, incluindo turistas estrangeiros, foram retiradas da região antes da passagem do tufão.

Muitos voos foram cancelados e as viagens ferroviárias estavam suspensas. De acordo com as autoridades da província de Phu Yen, a cidade de Tuy Hoa "nunca sofreu tamanho nível de destruição".

Também foram registrados danos leves a mais de 500 quilômetros de distância, em Danang, a cidade costeira vietnamita que receberá a reunião da APEC na próxima semana.

O encontro, de uma semana, reunirá vários líderes mundiais, entre eles os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping.

Desde o início de 2017, o Vietnã foi afetado por uma dezena de grandes tempestades que deixaram pelo menos 240 mortos ou desaparecidos.

De acordo com o Banco Mundial, os desastres naturais no Vietnã deixaram mais de 13.000 mortos e provocaram danos avaliados em mais de 6,4 bilhões de dólares nas últimas duas décadas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP